Moza assina memorando de entendimento com o MJACR

Com este acordo, os processos contratuais entre o Moza Banco e clientes, que exigem reconhecimento notarial passam a ser celebrados junto das instalações do Banco

O Moza Banco continua empenhado na prestação de um serviço cada vez mais personalizado e cómodo para os seus clientes. Esta terça-feira, o Moza rubricou, em Maputo, um memorando de entendimento com o Ministério da Justiça Assuntos Constitucionais e Religiosos tendo em vista imprimir maior celeridade na assinatura de actos contratuais que pela sua natureza exigem reconhecimento pelos serviços notariais.

Fundamentalmente, a ideia é que os serviços notariais, sob tutela do governo, através do Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, estejam baseados nas instalações do Moza Banco, permitindo deste modo que os clientes do Banco tenham à disposição aqueles serviços enquanto assinam seus contratos com o Moza.

Momentos após a assinatura do acordo, o Presidente do Conselho de Administração do Moza Banco, João Figueiredo anunciou que a assinatura do memorando reveste-se de capital importância uma vez que vai facilitar os processos com os clientes e flexibilizar os seus negócios no que concerne a obtenção de crédito, emissão de garantias bancárias, e outras operações financeiras.

 “A principal mais-valia para nós é prestar melhor serviço ao cliente. Através deste acto, os nossos clientes vão poder ter os seus actos notariais reconhecidos de forma mais célere, mais eficiente e mais cómoda”, destacou o PCA do Moza a importância de todos os procedimentos serem feitos no interior das próprias instalações do banco.

“Hoje na vida o tempo é dinheiro, quanto mais facilidade tiver o cliente na sua relação com o banco, melhor. Com a implantação de uma unidade notarial nas nossas instalações, o Moza oferece aos seus Clientes soluções mais integradas, reforçando desta forma o seu posicionamento de um Banco relacional e orientado para ser um parceiro estratégico no desenvolvimento dos negócios e projectos dos seus clientes, sublinhou Figueiredo o valor do recém-firmado acordo entre o Banco e o Ministério da Justiça.

Para o Secretário Permanente do Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Arlindo Langa, em termos práticos, o presente acordo visa levar os serviços notariais para mais próximo do cidadão.

“Em termos práticos, significa trazer os serviços mais próximo ao cidadão. O cidadão terá os serviços no local e na hora que precisa, é mais eficiente e rápido, todas as partes estão lá, as partes contratantes, o banco, os clientes e nós estaremos para certificar a legalidade desses actos”, anotou Arlindo Langa.

O acto testemunhado reforça a parceria entre as duas instituições, uma vez que ambas já cooperam também no domínio de automatização de pagamentos dos Actos de Registo e Notariado pelos utentes, uma forte aposta do Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos para a melhoria na prestação do serviço ao cidadão, que tem vindo a ser materializada com a instalação de Quiosques Digitais do Moza Banco, numa primeira fase, em Cartórios e Conservatórias na Cidade de Maputo.

 

Maputo, 30 de Maio de 2018

Para mais informações:

Direcção de Comunicação e Responsabilidade Social

Moza Banco


31/05/2018

Outras Notícias