Moza e ANAC juntos na protecção da biodiversidade

O Moza Banco e a Administração Nacional de Áreas de Conservação (ANAC) rubricaram, Quinta-Feira última, em Maputo, um Memorando de entendimento que consiste na divulgação de mensagens visando combater o abate indiscriminado de espécies animais existentes nas Áreas de Conservação, fenómeno que se tem verificado um pouco por todo o País.

Com efeito, a instituição financeira vai, por via das suas diferentes plataformas de comunicação, difundir informações que apelam à protecção e defesa da biodiversidade, demonstrando a sua importância. Aventa-se, ainda, a possibilidade de se usar autocarros de transporte público de passageiros na disseminação das mesmas mensagens.

Na ocasião, o Director Nacional de Áreas de Conservação, Mateus Muthemba, afirmou que esta parceria é a materialização da premissa segundo a qual a preservação da flora e da fauna é uma causa comum.

“É fundamental contarmos com esta parceria, considerando a pertinência dos objectivos que já foram traçados no combate à caça furtiva. O nosso desejo é que venham mais iniciativas de género”, expressou Mateus Muthemba.

Por seu turno, o Administrador Executivo do Moza Banco, Manuel Guimarães, manifestou prontidão para apoiar todas áreas de actuação da ANAC.

“Procuraremos divulgar junto das comunidades, dos nossos clientes e parceiros, os resultados do trabalho das reservas, com o objectivo de defender as espécies, pois tal faz parte da nossa política de sustentabilidade” sublinhou.

Segundo Manuel Guimarães, o património do mundo animal não pode ser visto como sendo somente material, mas sim como património emocional. “O património do reino animal é um património emocional, é de Moçambique e do Mundo inteiro, e urge a consciencialização das pessoas para a protecção desta riqueza, que corre o risco de se perder”, disse.

Por outro lado, o Moza rubricou o Protocolo com a Administração da Reserva Nacional do Niassa. Este acto garante que Reserva do Niassa seja a primeira a beneficiar das acções do Banco, sendo que o objectivo é intervir gradualmente noutras reservas do País.

A cerimónia de assinatura dos Memorandos de Entendimento decorreu à margem da VII Reunião Nacional das Áreas de Conservação, que se realizou sob o lema “O Futuro da Vida Selvagem Depende de Mim”.

 

Maputo, 04  de Dezembro de 2018


04/12/2018

Outras Notícias