Noticias

Nota de Imprensa
03/09/2018

O Conselho de Administração do Moza Banco SA informa os seus Clientes e o público em geral que, no quadro das negociações que vinha desenvolvendo, efectuou no passado dia 24 de Agosto do corrente ano, uma Oferta para Aquisição da totalidade do capital social do Banco Terra S.A..

A referida transacção insere-se no âmbito de uma operação estruturada que inclui, para além da referida aquisição da totalidade do capital do Banco Terra S.A., a posterior fusão entre o Moza Banco SA e o Banco Terra S.A..

Com esta operação, que naturalmente irá salvaguardar os superiores interesses de todos os stakeholders de ambas as Instituições, pretende-se dotar a Instituição resultante da transacção com uma capacidade reforçada em servir o mercado em geral, e os clientes em particular, com elevado espírito de cooperação e relacionamento nos diferentes sectores da vida económica e empresarial do país

Mais se informa que a referida oferta irá agora, ser apreciada pelos Órgãos competentes e Accionistas do Banco Terra S.A., bem como pela Autoridade Reguladora, decorrendo entretanto os trâmites processuais, regulamentares e legais que resultam de uma operação desta natureza.

O Moza Banco SA, na certeza que o seu sucesso irá beneficiar a economia e a sociedade em geral, manifesta o seu maior empenho na concretização desta transacção que, estamos convictos, irá consolidar o seu posicionamento no mercado como um Banco de referência no Sistema Financeiro Nacional.

 

O Conselho de Administração

Moza Banco S.A.

Moza Promove a arte e sustentabilidade ambiental
08/08/2018

No âmbito do programa de responsabilidade social e ambiental, o Moza Banco, procedeu ao lançamento do projecto “Arte e Sustentabilidade”, no último sábado, dia 28 de Julho de 2018, na Escola Secundária Mateus Sansão Muthemba, em Maputo. A iniciativa visa promover a educação cívica ambiental, com destaque para a reutilização e reciclagem de papel e outros utensílios.

No acto de lançamento do projecto, que contou com a parceria da Universidade Pedagógica, estiveram presentes cerca de 60 alunos da 8ª e 9ª classe, o corpo directivo da Escola, representantes do Moza, da Universidade pedagógica e os antigos futebolistas moçambicanos radicados em Portugal, Hilário da Conceição e Sheu Han, padrinhos da iniciativa.

Na ocasião, o Moza Banco, representado pelo Director de Responsabilidade social, Adam Yussof, manifestou-se satisfeito por poder contribuir para a preservação do meio ambiente através desta campanha de sensibilização destinada aos jovens e adolescentes.

“Estamos satisfeitos em poder partilhar o conceito de sustentabilidade ambiental com esta camada. Com esta iniciativa, enquadrada na cidadania empresarial do Moza, mostramos que é possível reutilizar materiais descartados para algum fim importante” afirmou.

O representante do Moza acrescentou “O desafio é levar essa consciencialização a cada vez mais pessoas, pois acreditamos que se cada um de nós produzir menos resíduos sólidos, reutilizar e reciclar os existentes, teremos um ambiente saudável e um mundo do qual podemos orgulhar-nos”.

Por sua vez, o Director da Escola Secundária Sansão Muthemba, Ernesto Ngomane, congratulou a iniciativa do Moza.

“Os nossos alunos estão satisfeitos e motivados por fazerem parte desta iniciativa, acredito que tenham assimilado os conhecimentos partilhados sobre a sustentabilidade ambiental e espero que o apliquem no seu dia-a-dia. O material produzido será afixado em diferentes áreas da escola, para servir de ensino aos actuais e futuros alunos da nossa instituição”.

Os alunos, que sob orientação do artista plástico, Titos Pelembe, filiado ao Núcleo de Arte na cidade de Maputo, transformaram panfletos, cartazes e outros materiais doados pelo Moza, em obra de arte, prometem replicar o que aprenderam nas suas comunidades.

“Eu sabia que era possível transformar lixo em obra de arte, mas não dava importância porque não tinha muita informação, de hoje em diante mudarei de comportamento, graças a esse workshop promovido pelo Moza ” enalteceu Inácia Cumbana, aluna Escola Secundária Sansão Muthemba.

Um dos padrinhos da Iniciativa Sheu Han, antigo jogador, treinador, secretário técnico e actual membro da direcção do Sport Lisboa e Benfica, clube português, não tem dúvidas que a acção vai contribuir para a edificação de um ambiente são.

“Estou emocionado porque quando convidaram-nos para participar do evento, disseram para dar uma mensagem aos alunos, mas eu é que acabei por receber a mensagem, que é de transmitir às pessoas a importância da preservação do meio ambiente pois, a mudança começa por nós, na nossa casa, no nosso bairro ”.

Os antigos atletas Hilário da Conceição e Sheu Han estão em Maputo a convite da Universidade Pedagógico, com apoio do Moza, para uma visita de trabalho que envolve diversas actividades, entre palestras e visitas a instituições e estabelecimentos de ensino visando essencialmente partilhar conhecimento e outras vivências e experiências não apenas a nível do desporto mas também sobre a preservação do meio-ambiente.

Refira-se que, recentemente, o Moza doou bens de primeira necessidade à comunidade de Luís Cabral, em Maputo.

Para mais informações, contacte:

Direcção de Comunicação e Responsabilidade Social do Moza Banco

 

Maputo, 01 de Agosto de 2018

Moza aposta no desenvolvimento das comunidades
31/07/2018

O Moza Banco promoveu no último sábado, 21 de Julho uma acção solidária a favor das crianças do Bairro Luís Cabral no âmbito da campanha ̎Faça uma criança feliz̎, onde ofereceu material escolar, roupas e brinquedos.

A acção de solidariedade foi uma iniciativa dos colaboradores da instituição bancária procurando contribuir para ajudar dezenas de famílias na zona periurbana da Cidade de Maputo. O evento contou com a participação dos colaboradores do Moza Banco, líderes comunitários e religiosos do Bairro Luís Cabral.

Os promotores da iniciativa acreditam que a acção irá contribuir para levantar o ânimo de toda a comunidade, em especial das crianças, visto que a maioria perdeu os pais.

“Estamos satisfeitos porque esta campanha teve bons resultados. Fizemos isso porque reconhecemos o valor da solidariedade e é muito importante partilhar com os outros o pouco que temos. Este material é resultado de contribuição dos mais de 722 trabalhadores do Moza, e esperamos que o gesto tenha impacto positivo no processo de crescimento destas crianças, que estão a passar por momentos difíceis por serem órfãs ”, referiu Adam Yussof, Director de Comunicação e Responsabilidade Social do Moza

Os beneficiários da iniciativa não pouparam palavras para agradecer o gesto.

“Estou muito feliz porque o Moza ofereceu-me lápis, cadernos, sapatos, roupa e brinquedos para poder brincar com os meus amigos”, enalteceu Liendson René, um dos beneficiários.

A estrutura do Bairro Luís Cabral, abrangido por esta iniciativa, espera que acções do género se repliquem e que outras entidades abracem a causa.

“Todas as empresas grandes deviam seguir o exemplo do Moza e ajudar os que necessitam. A população está satisfeita, a doação vai melhorar o futuro dessas crianças por isso esperamos que a iniciativa se repita”, elogiou Firmino Chiau, Secretário do Bairro.

Ainda na mesma ocasião, os idosos receberam apoio em géneros alimentícios, também oferecidos pelos colaboradores do Moza.

A iniciativa “Faça feliz uma criança”, promovida pelo Moza através dos seus colaboradores, foi replicada na zona Centro do país tendo beneficiado mais de cem crianças do distrito de Vanduzi na Província de Manica.

Lembre-se que a instituição celebrou recentemente os 10 anos da sua implantação no país, com ambição de ser um banco de excelência em Moçambique.

 

Maputo, 24 de Julho de 2018

Moza Banco distinguido como o mais inovador
12/06/2018

O Moza Banco foi distinguido mais uma vez, por uma publicação de especialidade no sector financeiro, desta feita pela “International Banker”, com o prémio The Best Innovation in Retail Banking Mozambique 2018.

A International Banker, destacou a forte capacidade de inovação como um traço distintivo do Moza ao nível do Sector Financeiro nacional, e também pelo facto de ser um Banco moçambicano que tem a inovação e qualidade de serviço como um compromisso do seu posicionamento no mercado, o qual se traduz como um filosofia e prática de um banco de relação.

 “Definimos a Inovação e a relação de proximidade com os nossos clientes como um dos pilares fundamentais no renovado posicionamento assumido pelo Banco, neste sentido este prémio, encoraja-nos a continuar focados na nossa aposta em assumirmo-nos como um Banco relacional, um Banco que se inspira no Cliente mas também um Banco que procura permanentemente desenhar soluções inovadoras por forma a satisfazer as reais ambições do seu Cliente”, afirmou João Figueiredo, Presidente do Conselho de Administração do Moza Banco.

Refira-se que este ano é a segunda vez que o Moza é premiado, tendo a primeira distinção acontecido em Março pela Banker Africa, na categoria de “Most Improved Bank” e desta vez pela International Banker com o Award “Best Innovation in Retail Banking Mozambique 2018”.

 

Maputo, 07 de Junho de 2018

 

Para mais informações:

Direcção de Comunicação e Responsabilidade Social

Moza Banco

 

Sobre a International Banker

A International Banker é uma prestigiada publicação internacional, dirigida a todos os profissionais que lidam com finanças, trazendo análises detalhadas das questões económicas mais prementes a nível global. A publicação organiza anualmente os International Banker Banking Awards que visam reconhecer as melhores organizações e indivíduos do sector, avaliados não apenas pelo crescimento, liquidez e rentabilidade, mas também levando em consideração questões como inovação de produtos e serviços, uso de Tecnologia, governação corporativa, transparência e sustentabilidade.

 

Moza assina memorando de entendimento com o MJACR
31/05/2018

Com este acordo, os processos contratuais entre o Moza Banco e clientes, que exigem reconhecimento notarial passam a ser celebrados junto das instalações do Banco

O Moza Banco continua empenhado na prestação de um serviço cada vez mais personalizado e cómodo para os seus clientes. Esta terça-feira, o Moza rubricou, em Maputo, um memorando de entendimento com o Ministério da Justiça Assuntos Constitucionais e Religiosos tendo em vista imprimir maior celeridade na assinatura de actos contratuais que pela sua natureza exigem reconhecimento pelos serviços notariais.

Fundamentalmente, a ideia é que os serviços notariais, sob tutela do governo, através do Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, estejam baseados nas instalações do Moza Banco, permitindo deste modo que os clientes do Banco tenham à disposição aqueles serviços enquanto assinam seus contratos com o Moza.

Momentos após a assinatura do acordo, o Presidente do Conselho de Administração do Moza Banco, João Figueiredo anunciou que a assinatura do memorando reveste-se de capital importância uma vez que vai facilitar os processos com os clientes e flexibilizar os seus negócios no que concerne a obtenção de crédito, emissão de garantias bancárias, e outras operações financeiras.

 “A principal mais-valia para nós é prestar melhor serviço ao cliente. Através deste acto, os nossos clientes vão poder ter os seus actos notariais reconhecidos de forma mais célere, mais eficiente e mais cómoda”, destacou o PCA do Moza a importância de todos os procedimentos serem feitos no interior das próprias instalações do banco.

“Hoje na vida o tempo é dinheiro, quanto mais facilidade tiver o cliente na sua relação com o banco, melhor. Com a implantação de uma unidade notarial nas nossas instalações, o Moza oferece aos seus Clientes soluções mais integradas, reforçando desta forma o seu posicionamento de um Banco relacional e orientado para ser um parceiro estratégico no desenvolvimento dos negócios e projectos dos seus clientes, sublinhou Figueiredo o valor do recém-firmado acordo entre o Banco e o Ministério da Justiça.

Para o Secretário Permanente do Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Arlindo Langa, em termos práticos, o presente acordo visa levar os serviços notariais para mais próximo do cidadão.

“Em termos práticos, significa trazer os serviços mais próximo ao cidadão. O cidadão terá os serviços no local e na hora que precisa, é mais eficiente e rápido, todas as partes estão lá, as partes contratantes, o banco, os clientes e nós estaremos para certificar a legalidade desses actos”, anotou Arlindo Langa.

O acto testemunhado reforça a parceria entre as duas instituições, uma vez que ambas já cooperam também no domínio de automatização de pagamentos dos Actos de Registo e Notariado pelos utentes, uma forte aposta do Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos para a melhoria na prestação do serviço ao cidadão, que tem vindo a ser materializada com a instalação de Quiosques Digitais do Moza Banco, numa primeira fase, em Cartórios e Conservatórias na Cidade de Maputo.

 

Maputo, 30 de Maio de 2018

Para mais informações:

Direcção de Comunicação e Responsabilidade Social

Moza Banco